Joker é um bom filme? – Opinião Sincerona

Joker
Canecas para Presente

Joker estreou não faz nem uma semana e já está coletando grandes e ótimas críticas do mundo e do público. Contudo, existem diversas pessoas criticando a violência utilizada no filme. Não falaremos deste ponto neste post, pois farei uma publicação especial só para falar desta polêmica. Mas o fato é que é preciso falar sobre este filme. Eu não me perdoaria por não fazer uma crítica deste filme incrível que é o Joker. Então, agora vamos discutir um pouco sobre o filme em si, referências, possíveis influências, sensações e um pouco sobre o Arquétipo do Bobo da Corte, tão utilizado no filme. Vamos?

Joker é bom?

Minha Experiência com o filme!

Eu estava um pouco desconfortável desde o começo do filme, mas não por causa do longa e sim pela sala de cinema. Isso porque eu não gosto muito de assistir filmes em salas muito lotadas e a minha sessão estava absurdamente lotada. Meu maior medo quando sentei no meu lugar foi que minha experiência fosse prejudicada durante o filme. Porém tudo correu perfeitamente bem e a sala foi extremamente educada durante a exibição.

Apesar do meu primeiro desconforto ter sido superado, quando o filme começou diversos outros começaram a me pegar de jeito. O visual do personagem me causava desconforto, a fotografia sombria do filme, mostrando uma Gotham podre, suja, cheia de pichações e afins. Mas é preciso dizer que isso não que seja ruim. Eu ter sentido este desconforto é total mérito do filme, era a intenção dele do início ao fim. Então se você assistir o filme e sentir-se desconfortável, é porque ele está funcionando para você.

Coringa - Joker

Mas não foi só de desconforto que o filme foi feito. Eu fui surpreendido, encantado, sorri e me assustei com diversas cenas do filme. Ele sabe brincar com as sensações do público como poucos filmes conseguem. O humor vai do clown ao humor negro num piscar de olhos, simplesmente fantástico.

Sobre o filme em si

Agora saindo das minhas sensações e experiência e partindo para uma análise mais técnica do filme. Neste post eu não pretendo falar sobre direção, fotografia e afins (pelo menos não com detalhes, mas eles serão citados ao decorrer deste). Isso porque existe muito a se falar deste filme e prender-me a detalhes mais técnicos pode acabar não abrangendo tudo que o filme traz. Então vamos lá.

O Enredo

O enredo de Joker possui uma premissa simples: um homem com problemas psicológicos tem o sonho de se tornar um grande comediante em uma cidade podre. Este é o enredo do filme, em suma. Contudo diversos outros fatores agravam o que poderia ser uma história simples: a doença da mãe de Arthur Fleck dificulta as coisas, a falta de atenção de sua psicóloga, o contexto de trabalho no qual ele está inserido, além dos abusos da sociedade para com ele. Tudo isto está englobado no enredo de Coringa, mas é inserido e apresentado aos poucos no filme.

O personagem

Agora chegamos ao ponto que eu considero principal deste post: o personagem. Basicamente o filme é uma grande construção de personagem do início ao fim. Não apenas por ser um filme de origem, mas porque tudo gira em torno do Arthur, seja externo ou interno a ele. O filme nos mostra tudo do ponto de vista de seu protagonista, então enlouquecemos junto com ele. Sentimos sua dor quando ele passa por algum problema, rimos com ele em suas crises de riso e sentimos raiva com ele. E isso não é negativo, afinal de contas, conseguir um nível de imersão neste ponto é um grande mérito.

Coringa - Joker

Outro ponto interessante sobre a construção do personagem no filme é sua relação com a cidade de Gotham. A cidade começa caótica e cheia de problemas, é claro. Mas nosso protagonista também. Ele tem problemas mentais, sofre financeiramente, precisa cuidar de sua mãe doente. Então é uma vida extremamente difícil a vivida por ele. E, assim como a cidade, ele está doente e piorando cada vez mais. O filme constrói o Coringa e Gotham como um só. Quanto mais louco Arthur fica, mas caótica a cidade se torna. Isso além de ambos (Gotham e Arthur), em determinado momento, acreditarem que Thomas Wayne pode ser a solução de seus problemas. E os dois revoltam-se com Thomas também ao mesmo tempo. Então, a conexão entre o Joker e Gotham é muito bem feita e muito forte neste filme.

O arquétipo do Bobo da Corte

Por se tratar de um filme do Coringa (Joker), nada mais justo do que fazer dele um arquétipo do bobo da corte. Arquétipos nada mais são do que modelos de personagem. Posso fazer um post em breve sobre os principais tipos. Mas falando do bobo da corte, este é um modelo de personagem que quer apenas se divertir, sem motivações ou coisas do tipo. E isso é o que o Coringa é, um agente do caos. O filme dá motivações para ele e ele começa a agir por vingança. Entretanto, chega a certo ponto em que a vingança é completamente ignorada por ele. E tudo o que o vilão quer é se divertir causando o caos pelo caos. Tanto que, em determinado momento, ele muda completamente seus planos apenas pelo caos (sem spoilers haha).

Referências encontradas no filme

Todd Phillips, em sua direção, faz questão de usar diversas referências de grandes cineastas da história. Eu consegui visualizar cenas e takes que lembram o estilo de filmagem de Stanley Kubrick, como câmeras paradas em planos simétricos. Ou até mesmo a sequência de espancamento com os agressores cantando uma música clássica. Além de referências a Kubrick, também temos a Tarantino e aos irmãos Cohen no que diz respeito à construção das cenas. A tensão, por vezes, é criada por meio de diálogos cotidianos ou de humor negro. Como, por exemplo, uma cena de Arthur em sua casa com seus ex-colegas de trabalho.

Joaquín Phoenix

Conclusão

Joker é um grande filme e tem muito o que contar e trazer para discussão. Vale a pena assistir nos cinemas com os amigos, ou até mesmo sozinho (pelo aspecto intimista do filme). Mas vá preparado para sair com um grande desconforto dentro de si. Pois, o filme vai fazer questão de te deixar muito desconfortável! No mais, “put on a happy face”.

Mas e você? O que achou da minha opinião sobre o filme? Concorda comigo ou discorda? Quero saber, então comenta as suas impressões sobre Joker! 😀

Lucas Gabriel

Estudante de Tecnologia da Informação, apaixonado por cinema, música e boas histórias de terror e drama! Adora discutir teorias malucas sobre séries ou filmes. Nerd assumido desde pequeno. Fã do Quentin Tarantino (inclusive acredita na teoria de que todos os filmes formam um só), Star Wars, Harry Potter, FRIENDS e filmes, como Laranja Mecânica, Donnie Darko e Nosferatu.