Bacurau – Um marco no cinema brasileiro! – Crítica

Bacurau
Canecas para Presente

Após ser exibido no maior festival de cinema do mundo, o Festival de Cannes; ser premiado com o prêmio do Júri no mesmo festival; e ainda ser premiado como Melhor Filme Nacional pelo Arri/Osram Award, Festival de Munique; o filme Bacurau finalmente chega ao Brasil nesta quinta-feira dia 29 de agosto. Muito estava se falando dele antes de sua estreia e, agora, ainda mais.

Em resumo, Bacurau é um filme brasileiro categorizado como Faroeste e Ficção Científica (mas eu não o categorizaria em nenhum gênero). O filme é dirigido e roteirizado por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Em seu elenco conta com Sonia Braga, Silvero Pereira, Wilson Rabelo, Tomás de Aquino, entre outros. O filme foi rodado no interior do Rio Grande do Norte, meu estado, e já está sendo aclamado em todo o mundo.

Bom, eu assisti o filme e vim falar um pouco do que eu achei sobre ele para vocês.

Bacurau

Bacurau

Sinose e Trailer

Como dito, não pretendo falar muito sobre a história do filme, pois muito dela é construída em pequenas reviravoltas empolgantes. Então, para evitar que eu fale demais sobre sua história, aqui vai a sinopse oficial divulgada:

“Pouco após a morte de dona Carmelita, aos 94 anos, os moradores de um pequeno povoado localizado no sertão brasileiro, chamado Bacurau, descobrem que a comunidade não consta mais em qualquer mapa. Aos poucos, percebem algo estranho na região: enquanto drones passeiam pelos céus, estrangeiros chegam à cidade pela primeira vez. Quando carros se tornam vítimas de tiros e cadáveres começam a aparecer, Teresa (Bárbara Colen), Domingas (Sônia Braga), Acácio (Thomas Aquino), Plínio (Wilson Rabelo), Lunga (Silvero Pereira) e outros habitantes chegam à conclusão de que estão sendo atacados. Falta identificar o inimigo e criar coletivamente um meio de defesa.”

Curtiu a sinopse, não é? Então confira o trailer oficial também!

Opiniões Gerais

O filme é um soco na cara e um chute no estômago (haha)! Mas, brincadeiras a parte, o filme é realmente fantástico. Eu não diria que ele é para qualquer um, pois ele é bem forte, violento em alguns momentos. Contudo, ele é, com certeza, um marco na história do cinema brasileiro. Isso porque os artifícios que ele utiliza para contar a história da cidade de Bacurau são muito bem feitos.

Por exemplo, um primeiro ato inteiro nos introduzindo à pequena cidade de Bacurau, seu cotidiano e moradores tudo isso com uma forma mais parecida com um documentário. Já seu segundo ato nos entrega suspense, ficção científica e ação nos mostrando as primeiras reviravoltas. E, por fim, o terceiro ato é um verdadeiro faroeste, com uma conclusão libertadora.

Bacurau

E é por estes motivos que eu afirmei, no início, que não acho possível classificar o filme como um ou dois gêneros apenas. Pois ele está repleto de subgêneros para construir sua narrativa. É quase um filme do Tarantino, que nos traz ação, faroeste, tensão, entre outros subgêneros.

Como visito o interior do Rio Grande do Norte com certa frequência, acabei me sentindo lá assistindo o filme. Tudo é muito crível e pode envolver tanto pessoas que visitam o interior, que moram no interior e pessoas que nem sequer conhece-no.

Eu fiquei completamente espantado e maravilhado com as cenas de tensão e violência que o filme apresenta. Elas podem parecer gratuitas para alguns, mas na verdade não são. Como dito pelos próprios diretores, Bacurau é um filme de resistência e, portanto, a violência expressada, principalmente por seus moradores, é um grito de resistência a tudo que passam. E, consequentemente, a tudo que passa o cidadão brasileiro comum.

Em resumo, eu me senti assistindo um filme do Tarantino se passando no interior do Nordeste brasileiro.

Atuações

O filme é bastante convincente no quesito atuações. Tanto os atores nacionais quanto os internacionais entregam bem seus papéis. Uma curiosidade sobre este aspecto é o fato de que muitos dos moradores de Bacurau não são atores, mas sim, moradores do interiorzinho em que o filme foi gravado.

Bacurau

A única crítica que faço às atuações é mais nos atores internacionais. Não que estejam ruins, como disse, entregam bem os papéis. Mas os personagens interpretados por eles acabam parecendo muito caricatos. E isso pode ser uma união do roteiro com as atuações entregues. Mas isso não diminui o filme.

Alguns Probleminhas…

A perfeição é algo muito complicado e pode até ser bastante subjetiva às vezes. Isso porque os problemas que eu elenquei do filme podem não ser problemas para outras pessoas. Entretanto, como eu estou expressando minha opinião, vou elencá-los mesmo assim.

Bom, o principal problema que encontrei no filme foi a duração de seu primeiro ato. Sim, pois, apesar de ser muito interessante ver o cotidiano dos moradores de Bacurau, sabemos que o filme não é sobre o cotidiano deles. Então, neste primeiro ato, o filme acaba explorando e criando “tramas” que não são o foco do filme e acabam se estendendo muito. E isso pode acabar afastando alguns tipos de público, o mais imediatista, por exemplo.

Outra crítica é a existência de cenas que não alteram muito o andar da história. Claro, o filme pode ser recheado de metáforas nestas cenas(sobre as quais não abordei aqui para não correr risco de spoiler).  Mas, mais uma vez, para o público geral, isso pode ser um problema a ponto do espectador ficar se perguntando o porquê daquilo estar acontecendo.

Conclusão

Bacurau é um marco no cinema brasileiro e precisa ser assistido. Um breve apelo que vi alguns criadores de conteúdo fazendo e, portanto, faço aqui também é: assistam ao filme em sua semana de estreia. Pois filmes brasileiros não recebem tanta visibilidade nem mesmo aqui e, caso a bilheteria da primeira semana não seja satisfatória, o período de exibição do filme é reduzido. E com isto, a bilheteria é reduzida, e a visibilidade também. Precisamos valorizar o cinema brasileiro, sobretudo o de qualidade.

Assista Bacurau e surpreenda-se com o que Kleber Mendonça e Juliano Dornelles.

Mas e você? Tem interesse em assistir Bacurau? O que espera do filme quando for assistir? Mas se já assistiu, comenta o que achou! 😀
Lucas Gabriel

Estudante de Tecnologia da Informação, apaixonado por cinema, música e boas histórias de terror e drama! Adora discutir teorias malucas sobre séries ou filmes. Nerd assumido desde pequeno. Fã do Quentin Tarantino (inclusive acredita na teoria de que todos os filmes formam um só), Star Wars, Harry Potter, FRIENDS e filmes, como Laranja Mecânica, Donnie Darko e Nosferatu.