Brinquedo Assassino – Crítica Sincerona!

Brinquedo Assassino
Canecas para Presente

Há menos de uma semana foi lançado a nova versão de Brinquedo Assassino, meus amigos.  É isto mesmo, temos o novo Chucky já nas telonas. E, nesta terça-feira, eu fui assistir o filme, então trago aqui minhas opiniões sobre o longa. Já deixo adiantado que se você já assistiu o filme, teremos um post falando sobre o final do filme. Então, se você ainda não viu, não se preocupe pois este post não terá spoilers de Brinquedo Assassino. Talvez tenha da versão antiga, mas essa nem conta mais (haha). Então vamos lá?

Brinquedo Assassino

Sinopse

Karen Barclay presenteia seu filho pequeno, Andy, com um boneco muito especial. Trata-se de um dos novos bonecos Buddi, um assistente inteligente para crianças. Contudo, o exemplar recebido por Andy estava com defeito e acaba saindo do controle. É quando eles precisam lutar por suas vidas e dar um jeito de se livrarem do boneco assassino chamado Chucky.

Funcionou?

Bom, o filme é muito mais coeso e sério do que sua versão anterior. Enquanto o filme dos anos 80 possui toda uma questão espiritual e sobrenatural por trás, este traz uma discussão sobre a tecnologia. Isso porque a mecânica utilizada para fazer com que o Chucky se tornasse mal foi a existência de uma inteligência artificial sem barreiras de segurança ou coisas do tipo. Neste filme vemos o brinquedo aprendendo o que é matar e vendo isto como uma simples diversão ou forma de proteger sua criança. (Uma espécie de Toy Story maligno (haha) coincidência ou não, os meninos dos dois filmes chamam-se Andy).

Chucky

E isso tudo aliado às boas decisões da direção sobre os ângulos de câmera e às cenas de assassinato completamente agoniantes nos traz uma experiência completamente diferente do primeiro filme e muito mais interessante de ser vista.

E as cenas de morte?

Bom, por ser um filme de terror (ou suspense) um fator muito importante são, claro, as cenas de morte. Afinal de contas, um filme de terror com mortes toscas é um filme trash que pode desagradar muita gente (apesar de agradar certo público). Mas não se preocupe, pois as mortes e os efeitos visuais, tanto práticos quanto de CGI, estão muito convincentes.

Além disso as circunstancias das mortes estão muito boas. Parte disso se deve ao fato das habilidades tecnológicas de Chucky. Acredito que apenas uma das mortes do filme, apesar de ser uma boa cena, não é tão impactante quanto as outras. Então, se você gosta de sangue e cenas levemente gore (elas não são exageradas, são o suficiente para causar agonia e incômodo).

Problemas do Filme

Bom, não vejo muito o que falar mal do filme, pois seus erros são muito insignificantes e não atrapalham a experiência do filme. Alguns erros de continuação aqui e ali acabam por passarem despercebidos. Entretanto, existe uma questão que me intrigou bastante: a aparência do personagem. Enquanto no filme clássico, o boneco Buddi parecia realmente fofo e agradável antes de ser transformado, aqui os bonecos não são nada atrativos e já são assustadores sem nem serem malignos.

Brinquedo Assassino - Chucky

Isso pode prejudicar a experiência, pois, o público pode passar a se perguntar “Por que tanta gente quer um boneco desse tão feio? Que tipo de marketing é este?”. Claro que todas as vantagens tecnológicas que o boneco possui podem compensar e fazer muita gente querê-lo. Mas fazer parecer que o brinquedo é lindo e fofo é difícil de aceitar durante o filme. Existe inclusive uma cena em que o Andy constata que o boneco é fofo, mesmo ele não sendo.

Conclusão

Brinquedo Assassino é um remake muito bem feito e perfeitamente adaptado para os dias de hoje. Se o enredo anterior havia ficado datado com o passar do tempo, este pode se manter atual por um certo tempo devido ao avanço da Internet das Coisas. Além disso, a atmosfera do filme é muito legal e possui ótimas cenas de assassinato, como um bom filme de terror pode ter. Não digo que seja o terror do ano, nem nada, mas é um ótimo divertimento. Brinquedo Assassino – recomendado!

Mas e você? O que achou de Brinquedo Assassino? Já assistiu? Então comenta aí embaixo! 😀
Lucas Gabriel

Estudante de Tecnologia da Informação, apaixonado por cinema, música e boas histórias de terror e drama! Adora discutir teorias malucas sobre séries ou filmes. Nerd assumido desde pequeno. Fã do Quentin Tarantino (inclusive acredita na teoria de que todos os filmes formam um só), Star Wars, Harry Potter, FRIENDS e filmes, como Laranja Mecânica, Donnie Darko e Nosferatu.