O Futuro do Streaming – O que será de nós?

O Futuro do Streaming

Estava refletindo estes dias sobre a quantidade de serviços de streaming que já existem e que têm surgido. Não são poucos e cada um deles possuem títulos exclusivos de peso. Então, a partir deste raciocínio, comecei a refletir sobre quantos serviços teríamos de assinar para poder usufruir das séries que gostamos. Sim, pois uma pessoa não é limitada a gostar apenas das séries da Netflix e não gostar das da HBO. E foi por  meio deste raciocínio que cheguei à conclusão de que, em algum momento, isso se tornaria inviável. Então vamos debater sobre isso? Vamos falar sobre o futuro do streaming.

O surgimento de serviços de streaming

Como muitos já sabem, a onda de streaming teve seu início por meio da Netflix. Sim, pois durante os anos 90 era impossível pensar em assistir filme em casa sem passar na locadora e alugar seu filme. A ideia da Netflix era que você não precisasse sair de casa para assistir seus filmes favoritos. Muitos, inclusive, costumam dizer que a falência da Blockbuster se deu por causa da Netflix.

Na verdade, a Netflix, de início não era uma empresa de serviço de streaming, mas sim de distribuição de DVD’s. Ela entregava para seus assinantes DVD’s pelo correio. Funcionava assim: o usuário acessa site da Netflix, criava uma assinatura e solicitava os DVD’s que quisesse. O serviço limitava a quantidade de filmes por plano. Então, eles eram enviados para você, pelo custo de 50 centavos o frete por DVD. Você poderia ficar o tempo que quisesse e devolveria depois. Também existia a chance de comprar o DVD. Isso tudo começou no ano de 1997, mas com acesso ao público só foi em 1998.

Netflix - O Futuro do Streaming

Foi em 2006 que a Netflix assumiu a forma que conhecemos. A empresa fundou seu serviço de streaming e passou a disponibilizar títulos online. E isso foi extremamente inovador. Por uma taxa mensal, você assistiria o filme que quisesse e quando quisesse. E isso era fantástico. Por ser a primeira empresa a fazer isso, por muito tempo a Netflix conseguia disponibilizar muito mais títulos de terceiros do que hoje em dia.

Mas foi aí que surgiu a concorrência…

A concorrência

Por ser um modelo de negócios muito atraente e lucrativo, diversas empresas começaram a desejar ter a sua própria Netflix. Foi então que começaram a remover seus títulos da Netflix. O futuro do streaming, para a Netflix, começou a ficar incerto. Muitos tinham medo que a Netflix perdesse a qualidade, pois estava perdendo catálogo. Foi quando ela afirmou que no futuro seu catálogo seria formado, em sua maioria, por títulos originais dela.

Amazon Prime Video, Hulu, Telecine Play, GloboPlay, HBO GO, Disney+, AppleTV+, a Warner criando o seu próprio, a FOX também. O mundo do streaming virou uma loucura. E cada um deles possuindo seus próprios produtos exclusivos. Para os clientes ficou difícil a fácil acessibilidade a títulos. Isso porque, os títulos que não estavam na Netflix deveriam estar em alguma das outras plataformas. E é neste ponto que eu quero chegar.

E agora? Qual o futuro do streaming?

Se a indústria seguir por este caminho, os usuários terão dificuldade em manter mais de uma assinatura e passarão a cancelar outras. Para a concorrência entre elas isso não importa muito, pois, no final das contas, as pessoas iriam se dividir e assinariam a maioria deles. Mas para o usuário isso será um problema. Pois, é comum as pessoas terem gostos variados. Quando o serviço de streaming da Disney, com conteúdo da Pixar, Marvel, Lucasfilm e FOX, for lançado, o que vai ser da Netflix e da Amazon Prime Video? Muita gente irá migrar para o Disney+. Enquanto outras simplesmente não terão acesso aos conteúdos da Disney, por serem exclusivos. E se tiverem, pode ser que não tenham mais da Netflix.

Disney+

Isso anda lado a lado com a ideia das TV’s por assinatura aqui no Brasil. Em geral é uma fortuna e o cliente não assiste nem metade dos canais. Creio que se nada mudar, no futuro isso irá acontecer. Os usuários, que puderem, assinarão diversos serviços para consumir apenas um outro conteúdo de cada.

Isso pode chegar ao ponto de prejudicar o próprio mercado de streaming. Mas essa é, apenas, a minha opinião.

Mas qual a sua opinião? Como acha que será o streaming daqui a alguns anos? Queremos saber, então comente! 😀
Lucas Gabriel

Estudante de Tecnologia da Informação, apaixonado por cinema, música e boas histórias de terror e drama! Adora discutir teorias malucas sobre séries ou filmes. Nerd assumido desde pequeno. Fã do Quentin Tarantino (inclusive acredita na teoria de que todos os filmes formam um só), Star Wars, Harry Potter, FRIENDS e filmes, como Laranja Mecânica, Donnie Darko e Nosferatu.