Justiça dos EUA se pronuncia sobre Netflix no Oscar

Justiça dos EUA sobre Netflix no Oscar

O Oscar de 2019 foi um grande momento para os fãs de cinema, como sempre é. Contudo, para a Netflix foi uma premiação e tanto. Com Roma, de Alfonso Cuarón, a empresa pôde levar diversos prêmios o que gera nome e prestígio para ela. Entretanto, nem todos da cena se agradaram com a participação de produções da empresa como indicados da premiação. Steven Spielberg, por exemplo, foi um forte defensor de que a Netflix não deveria concorrer ao Oscar, limitando-se apenas ao Globo de Ouro. Ele pode ser um grande cineasta na cena, mas contra a justiça ninguém pode, né? E a justiça dos EUA parece estar a favor da Netflix.

De acordo com a Vulture, o Departamento de Justiça dos EUA enviou uma carta para a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas afirmando que banir longas do evento pode ser considerado uma prática ilegal. Segundo o site, o texto dizia o seguinte:

“Sob a ótica de que a Academia — uma associação que traz diversos competidores entre seus membros — estabelece certos requisitos de elegibilidade para o Oscar que elimina possíveis concorrências sem justificativas pró competição. É uma conduta que pode levantar preocupações acerca de monopólios.”

A Academia enviou um comunicado à Vulture afirmando que o membro diretivo da instituição irá discutir a carta recebida em uma reunião que ocorrerá no dia 23 de abril.

Mas e você? O que acha desta situação toda? Concorda com Spielberg ou acha que os filmes da Netflix ainda devem concorrer ao Oscar? Comente!

Lucas Gabriel

Estudante de Tecnologia da Informação, apaixonado por cinema, música e boas histórias de terror e drama! Adora discutir teorias malucas sobre séries ou filmes. Nerd assumido desde pequeno. Fã do Quentin Tarantino (inclusive acredita na teoria de que todos os filmes formam um só), Star Wars, Harry Potter, FRIENDS e filmes, como Laranja Mecânica, Donnie Darko e Nosferatu.