O Exorcista: As Melhores Curiosidades

Quando o assunto é clássicos do terror, O Exorcista é uma produção que não pode ficar de fora. O filme foi um marco para o gênero terror. Dirigido por William Friedkin e estrelado por Linda Blair, Ellen Burstyn e Max von Sydow, o longa-metragem estreou nos cinemas em 26 de dezemmbro de 1973. A produção é uma adaptação de um clássico da literatura, homônimo, escrito por William Peter Blatty. Conta a história de uma família que, aos poucos, começa a perceber que a criança de doze anos está tendo comportamentos assustadores. O enredo se passa em Georgetown, Washington, e, como o nome sugere, as coisas acabam indo para um caminho completamente misterioso e é necessária a procura por um exorcista para tentar ajudar a menina a se livrar do mal.

O Halloween está chegando e que forma melhor de comemorar essa data do que assistindo a esse incrível filme? Mas, enquanto o dia 31 não chega, trouxemos para vocês algumas das melhores curiosidades sobre a produção do longa, que, cá entre nós, tem tanta história para contar quanto o que vimos no cinema.

As Melhores Curiosidades de O Exorcista

  • O endereço da casa onde a história se passa é o mesmo do apartamento em que William Peter Blatty, autor do livro, viveu enquanto estudava na Georgetown University.
  • No roteiro original, a personagem Chris deveria falar, em algum momento, a frase “I belive in the devil!” (“Eu acredito no demônio!”), mas esse momento foi apagado da história. Isso porque Ellen Burstyn, interprete de Chris, disse que só trabalharia se não precisasse falar isso. Antes de Ellen, Jane Fonda e Shirley MacLaine foram consideradas para o papel.
  • Várias vezes durante a produção o Reverendo Thomas Birmingham foi convidado para benzer e tranquilizar o elenco. O diretor William Friedkin perguntou-o sobre a possibilidade de exorcizar o set de filmagens, mas ele recusava dizendo que isso só causaria mais ansiedade nos atores.

  • John Boorman ficou conhecido como o diretor responsável pelo segundo filme da série, O Exorcista II – O Herege, que estreou em 1977, no entanto, poucas pessoas sabem que ele se ofereceu para dirigir o primeiro exorcista e acabou desistindo por achar a história “cruel demais”.
  • Uma das coisas mais conhecidas sobre a produção de O Exorcista é sua inacreditável quantidade de mortes reais. Durante as filmagens, outo pessoas da produção morreram de formas inexplicáveis, isso sem contar as mortes que aconteceram depois da conclusão do projeto.
  • Na cena em que Chris é lançada para longe de sua filha possuída, ela realmente gritou de dor. A atriz bateu violentamente o coccix contra a cama e a cena foi mantida na versão final do filme.
  • Quatro aparelhos de ar-condicionado foram usados simultaneamente no principal quarto onde o filme se passa, isso para que fosse possível capturar a respiração gélida do elenco.

  • A principio, a voz da garotinha enquanto ela estava possuída seria da própria Linda Blair, mas, de última hora, o diretor resolveu substitui-la. Quem dublou as cenas foi Mercedes McCambridge que, para fazer o tom da voz do demônio, comeu ovos crus, consumiu bebidas alcoólicas e fumou vários cigarros.
  • E por falar em Mercedes, ela processou a Warner Bros, exigindo que seu nome estivesse nos créditos do filme.
  • Em 2000, uma nova versão do longa foi para os cinemas. Nesse filme, o som se tornou digital e cenas extras foram inseridas, deixando a produção com 11 minutos a mais.
  • Foi o primeiro e único filme de terror a ser indicado para o Oscar de Melhor Filme. O Exorcista não conseguiu esse troféu, mas levou para casa o de Melhor Roteiro Adaptado e de Melhor Som.

Gostou de saber um pouco mais sobre O Exorcista? Deixe seu comentário logo abaixo!

Júlia Campos

Oficialmente, estudante de design e técnica de informática. Nas horas vagas, ilustradora, modelo e escritora. Sou apaixonada por jogos, gamedesign e cultura oriental no geral, as vezes até pareço ser uma Geek assumida. Fã da autora Maggie Stiefvater e amante de séries de suspense, mistério e terror (as vezes arriscando um romancezinho).