Croatoan: A inspiração para várias séries e filmes de horror

Você já assistiu o filme Vanishing on 7th Street? Ou, em português, O Mistério da Rua 7? Lançado no ano de 2010, o filme não é considerado um sucesso de bilheteria e crítica, mas ele se popularizou bastante alguns anos depois por conta de sua história baseada em uma “lenda urbana” dos Estados Unidos, Croatoan e a Colônia de Roanoke. No longa-metragem, dirigido por Brad Anderson, um estranho fenômeno atinge a cidade de Detroit, no Michigan. Um gigantesco blecaute deixa a cidade na escuridão e pessoas começam a desaparecer sem deixar rastros. Ao decorrer do filme, descobrimos que uma estranha entidade (ou estranhas, se for considera-la como mais de uma) se move na escuridão e faz todos simplesmente desaparecerem. A única forma de evitar que você seja pego é ficar sempre na luz, mas como? Isso é o que os protagonistas da história precisam descobrir, até porque, os dias passam a ficar cada vez mais curtos.

O filme em si não cita a lenda como sua origem, mas uma cena bem marcante, logo no começo do filme, deixa claro do que estamos falando: O primeiro ato da produção se passa no cinema, todos estão assistindo um filme quando, de repente, a luz caí. Quando o responsável pela sala finalmente consegue acender uma luz para ver o que aconteceu, percebe que absolutamente todas as pessoas da sala desapareceram, deixando apenas suas roupas. A primeira reação dele é ir atrás do gerador que, estranhamente, não foi acionado com o blecaute e, ao chegar na sala onde o equipamento se encontra, ele ilumina uma estranha coisa na parede. Bem atrás da maquina, está escrito “CROATOAN”. A cena acaba com o desaparecimento do funcionário, deixando no ar o que poderia ter acontecido com ele.

Se você já viu a série Supernatural provavelmente essa palavra não é estranha para você, falo o mesmo para quem acompanha American Horror Story, mas talvez você não saiba de onde esse nome vem. Hoje trouxemos para vocês o começo de uma das lendas mais populares nos EUA. Inclusive, uma curiosidade que vale a pena citar é que “Croatoan” se tornou uma gíria norte-americana para se referir a pessoas que somem sem deixar vestígios. Se os acontecimentos relatados a seguir são verídicos ou não, ninguém sabe, talvez até sejam até certo ponto, mas não podemos afirmar que tudo seja real.

A Lenda de Croatoan

A Colônica de Roanoke foi uma pequena colônia ocupada pelos ingleses no território que hoje é conhecido como Carolina do Norte. Um projeto financiado e organizado pelo Sir Walter Raleigh, com o objetivo de impedir que os espanhóis ou quaisquer outros povos ou nações tomassem conta do local. Era o século 16, quando boa parte da América ainda era conhecida como “Nova Inglaterra”, as incertezas eram muitas e os recursos escaços, mas os pioneiros seguiam firmes e fortes na missão de ocupar as novas terras.

O protagonista dessa história é John White, um nobre inglês que, certa vez, precisou sair da colônia para resolver alguns assuntos que estavam pendentes em seu país de origem. Houveram muitos problemas desde então, quando ele chegou lá, algo o manteve afastado de seus deveres com os pioneiros. Na verdade, o motivo foi bem sério, ele foi impedido de partir e voltar para sua família (ele tinha filha e neta em Roanoke) porque a Inglaterra havia sido atacada pela Armada Invencível do Rei Felipe II, da Espanha. Mas o que importa, é que ele acabou ficando cerca de 3 anos afastado de sua nova casa, nas Américas.

Retornando, John acabou encontrando sua vila completamente abandonada, no entanto, não parecia que as pessoas haviam simplesmente ido embora. Uma coleção de fatos estranhos chamou a atenção de pioneiro e artista: Os pertences de todos estavam abandonados, havia comida nos pratos, havia roupas prontas para lavar e outras espalhadas pelo terreno, não havia sinal de violência ou mortes no local, apenas parecia que as pessoas teriam desaparecido no ar.

Em uma arvore (algumas versões dizem que foi no chão, mas as imagens mostram em uma arvore) foi encontrada uma estranha, porem familiar, palavra escrita: “Croatoan”. Mas… o que seria Croatoan? Bom, até hoje isso é um mistério. Algumas pessoas, na época, ligaram a palavra ao apocalipse, ao arrebatamento, mas a mais aceita é que esse seria o nome de um demônio indígena da região, que não estava feliz com a chegada dos estrangeiros em suas terras. Outra coisa que costuma ser contada na lenda é que os homens, quando retornaram à colônia, ouviram gritos, sussurros e pedidos de socorro que vinham de lugar nenhum.

Tendo em vista a parte sobre os nativos na lenda, uma das explicações racionais para tudo isso fala que os moradores de Roanoke teriam sido absorvidos pela população nativa-americana, outros já dizem que houve um massacre na região (ideia pouco aceita uma vez que não haviam sinais de briga ou morte no local). Bom, essa, teoricamente, é a verdadeira origem da palavra. Alguns pesquisadores e folcloristas norte-americanos contam que Croaton é o nome de um dos demônios da floresta, relatado pelos índios Sioux. Algumas tribos, inclusive, realizavam sacrifícios humanos para agradar a criatura maldita.

Se formos um pouco mais para a parte das teorias da conspiração, encontramos os ufólogos, pessoas especializadas em estudar objetos voadores não identificados, os famosos OVNIs (que, diga-se de passagem, não se refere apenas coisas vindas de fora da terra). Para a comunidade, o caso de Roanoke pode ser considerado a primeira abdução em massa relatada na história.

A verdade é que ninguém sabe, até hoje, o que aconteceu naquele lugar e a história se tornou uma lenda. John White realmente existiu, ele viveu entre os anos de 1540 e 1593 e foi um governador da Inglaterra. A história de Croaton, o demônio da floresta, também é real, pelo que os especialistas falam. E a colônia realmente foi encontrada completamente abandonada e sem sinais de mortes ou fuga. Esse é, basicamente, o resumo da história e o motivo dela ter se tornado uma lenda urbana foi pelo fato de que o que realmente aconteceu nunca ter sido descoberto. Aquelas pessoas nunca mais foram vistas e não se tem ideia do que possa ter acontecido nos três anos em que John esteve fora.

Você gostou de saber um pouco mais sobre uma das lendas mais conhecidas dos Estados Unidos? Deixe seu comentário logo abaixo!

Júlia Campos

Oficialmente, estudante de design e técnica de informática. Nas horas vagas, ilustradora, modelo e escritora. Sou apaixonada por jogos, gamedesign e cultura oriental no geral, as vezes até pareço ser uma Geek assumida. Fã da autora Maggie Stiefvater e amante de séries de suspense, mistério e terror (as vezes arriscando um romancezinho).