As Crônicas de Nárnia: As Melhores Curiosidades

Escrito pelo irlandês C. S. Lewis, As Crônicas de Nárnia é uma série de sete livros que foram lançados entre os anos de 1950 e 1956. Houveram inúmeras adaptações da história desde então, mas, nessa matéria, iremos falar apenas das adaptações cinematográficas da obra. E sim, existem outras. Os livros são considerados clássicos, e não é por menos, a série vendeu mais de 120 milhões de cópias pelo mundo todo e foi traduzida para 41 idiomas.

A saga conta histórias independentes até certo ponto, tendo protagonistas diferentes e compartilhando o mesmo universo fictício. Embora a narrativa não tenha sido escrita pensando no público infantil, este acabou se afeiçoando bastante com as produções, uma vez que quase todos os protagonistas são crianças de nosso mundo.

Os dois primeiros filmes de As Crônicas de Nárnia foram lançados pela Disney, que logo depois vendeu os direitos autorais para a 20th Century Fox, que lançou a terceira adaptação. Em ordem, os anos de estreia foram 2005, 2008 e 2010. Agora, parando com a enrolação, vamos ao que interessa. Confira abaixo algumas das maiores curiosidades sobre a produção das adaptações cinematográficas da série!

As Melhores Curiosidades Sobre As Crônicas de Nárnia

  • Diferente do que muitos pensam, essa não é a primeira adaptação dos livros de C.S. Lewis, é apenas a primeira para os cinemas. Antes dela, houveram mais três, que foram feitas para a TV. Todas elas se chamam “The Lion, the Witch and the Wardrobe” e foram lançadas nos anos de 1967, 1979 e 1988.
  • Primeiro filme com atores dirigido por Andrew Adamson. Antes disso, o diretor só havia participado das produções de Shrek e Shrek 2. Uma excelente estreia, não? Antes dele assumir a função, quem estava cotado para realizar o trabalho era Guillermo del Toro, no entanto ele teve que desistir dos projetos por questões contratuais e de agenda. Na época ele estava trabalhando no filme O Labirinto de Fauno.
  • O terceiro filme, produzido pela FOX, é, na verdade, o quinto livro da saga.

  • A princípio, quem deveria ter ficado com o papel de Jadis, a Feiticeira Branca, era Michelle Pfeiffer, mas a atriz não pode aceitar o convite por causa de obrigações familiares. Quem acabou ficando com o papel foi Tilda Swinton, que, a proposito, não havia lido a série antes de rodar o filme.
  • Quem deu vida ao príncipe Caspian foi o ator Ben Barnes. Ele não teve muitos problemas para conseguir o papel, uma vez que ele foi convidado para tal. Ele continuou na franquia durante o terceiro filme, dessa vez, com contrato com a FOX.
  • Houveram inúmeros problemas e contratempos durante a produção do primeiro filme, um deles foi o pedido para levarem renas dos Estados Unidos para a Nova Zelândia, onde o longa estava sendo filmado, que acabou sendo negado pelo Ministro da Agricultura local. O motivo da negação foi o fato de uma doença está atacando a população de renas dos EUA na época.

  • Mas as filmagens dos filmes de As Crônicas de Nárnia não ocorreram apenas na Nova Zelândia. Durante os três filmes da saga produzidos, a equipe passou por vários países diferentes. Nova Zelândia, Polônia, República Tcheca, Eslovênia, Islândia, Portugal e Austrália são alguns exemplos.
  • O primeiro filme foi a terceira maior bilheteria do mundo no ano de 2005, arrecadando mais de 745 milhões de dólares. Além disso, ele também foi o DVD mais vendido na América do Norte, ultrapassando os 330 milhões de dólares no primeiro ano.
  • O motivo da Disney ter pulado fora do barco e decidido não adaptar mais os outros filmes da série foi por conta da bilheteria de Príncipe Caspian, que não agradou a produtora. Isso deu espaço para que a FOX fizesse A Viagem do Peregrino da Alvorada.
  • O primeiro filme ganhou o Oscar e o Bafta de Melhor Maquiagem. Também foi indicado a vários prêmios nas categorias de Melhor Som, Trilha Sonora, Efeitos Especiais, Figurino e afins.

Já assistiu todos os três filmes? O que achou deles? E sobre saber um pouco mais sobre as adaptações? Deixe seu comentário abaixo!

Júlia Campos

Oficialmente, estudante de design e técnica de informática. Nas horas vagas, ilustradora, modelo e escritora. Sou apaixonada por jogos, gamedesign e cultura oriental no geral, as vezes até pareço ser uma Geek assumida. Fã da autora Maggie Stiefvater e amante de séries de suspense, mistério e terror (as vezes arriscando um romancezinho).