Dark Water e sua estranha semelhança com um crime real

Você já ouviu falar em Dark Water? Um filme de suspense e horror lançado em julho de 2005 pela Buena Vista e que foi um verdadeiro fracasso de bilheteria, arrecadando pouco menos de 50 milhões de dólares. Se fosse só por isso, nem valeria a pena falar muito de Dark Water, mas algo que aconteceu 8 anos depois acabou mudando um pouco a situação. Deixando o filme um pouco mais… bizarro? Ou poderíamos dizer que a realidade ficou assustadora? Estamos falando de um crime ocorrido em fevereiro de 2013 que resultou na morte de uma jovem canadense em circunstâncias misteriosas e similares ao que foi mostrado em Dark Water.

Mas vamos começar lááá no ano de 2005, com o filme. Do que se trata? Dark Water é um remake de um filme de terror japonês chamado Honogurai mizu no soko kara (2002). Dahlia acabou de se separar de seu ex-marido e, em meio a toda a burocracia e confusão por causa do processo de divórcio, a guarda de sua única filha, Ceci, entra em jogo. Tentando levar a vida da melhor forma possível e não envolver muito a criança na história toda, Dahlia decide se mudar para um pequeno e humilde apartamento com a menina, que logo de cara parece adorar o local, embora ele tenha certas condições precárias. A primeira coisa estranha que acontece a Ceci, é ela encontrar uma boneca perdida no meio do hotel. Como boa parte das crianças, ela tenta convencer sua mãe a ficar com a boneca, no entanto, ela força a menina a entregar o brinquedo para o responsável pelo prédio, que diz que guardará o objeto para entrega-lo a sua dona.

Bom, até ai, nada demais, Dahlia e Ceci começam sua nova vida, arrumam a casa, tentam viver como se o mundo lá fora não estivesse tentando separa-las, mas as coisas começam a ficar bizarras quando Dahlia repara um estranho liquido negro caindo do teto de sua residência, como goteiras. Como, mesmo depois de tanto reclamar a manutenção, a jovem mãe não consegue ajuda, ela decide investigar por si mesma. Dahlia sobe até o andar superior ao seu apartamento e vê que uma casa inteira está inundada com uma estranha água negra. Todas as torneiras e chuveiros da residência estão completamente abertos, mesmo que ninguém pareça morar ali. Bom, o zelador promete que vai cuidar de tudo e não dá muitas explicações, o que deixa a protagonista com uma pulga atrás da orelha. Mas as coisas não param por ai, o fenômeno volta a acontecer repetidas vezes, até que, certa vez, Ceci pede para a mãe um copo de água e, quando Dahlia abre a torneira, um tufo de cabelo entra no copo. Revoltada a mulher tenta conseguir explicações, mas desculpas esfarrapadas voltam aparecer, fazendo com que a jovem fique ainda mais inquieta e continue tentando descobrir o que acontece naquele lugar.

Bom, se lembra da bonequinha que Ceci encontrou? É aqui que ela se torna especial na trama. Ceci consegue resgatar a tão sonhada bonequinha de seu cativeiro antes que sua mãe decida ir embora de vez e a coisa a leva até o terraço do prédio. Quando notam a ausência da pequena, Dahlia e o zelador começam uma busca frenética pela menina, uma vez que aquela boneca pertencerá a uma criança que também havia desaparecido naquele prédio. Eles encontram Ceci aos pés de uma enorme caixa d’água, dizendo que a dona da boneca está lá dentro. Pois é, meus caros, depois que Dahlia sobe para ver do que a filha estava falando, ela encontra o corpo em decomposição da menininha que estava desaparecida, dona do brinquedo. Não só isso, é descoberto que o zelador sabia sobre a morte da jovem e estava acobertando os fatos.

Eu tinha cerca de 10 anos quando vi Dark Water pela primeira vez. Confesso que sempre fui uma criança apaixonada pelos programas de terror e suspense, no entanto, eu nunca poderia imaginar o que aconteceria alguns anos após. Como já dito anteriormente, um fato sinistro aconteceu 8 anos depois do lançamento desse filme, um crime que, até hoje, não tem uma explicação convincente. Muitos acreditam que o possível autor do delito tenha se inspirado na história do filme Dark Water para cometer esse crime horrível. Outros alegam que foi apenas uma coincidência. E tem ainda quem dedique os créditos do feito a uma entidade sobrenatural. Bom, tudo que sabemos é que o caso foi encerrado como “afogamento acidental”, o que é, de fato, bem duvidoso. Seria esse um caso em que a ficção inspirou a realidade? Contarei a história a seguir e tirem suas conclusões vocês mesmos.

Elisa Lam era uma jovem universitária canadense, estudante da Universidade da Colúmbia Britânica, em Vancouver. Ela tinha apenas 22 anos quando decidiu ir passar as férias em Los Angeles, no bizarro Cecil Hotel. As coincidências já começam aí, uma vez que o nome da menininha de Dark Water é Ceci. Como se não bastasse, o Cecil Hotel é conhecido por já ter sido palco de crimes e habitado por assassinos em série. Uma fama não muito boa, né? Uma curiosidade extra é que ele foi a inspiração para a quinta temporada de American Horror Story. Mas, voltemos para a história. No dia 19 de fevereiro, uma coisa realmente estranha foi captada pelas câmeras de segurança do local. É possível ver Elisa entrando apressada em um elevador e apertando alguns botões no painel. Ela olha para fora cuidadosamente, como se algo ou alguém estivesse a perseguindo, logo depois, volta para dentro do elevador. Ela passa algum tempo fazendo isso, verificando do lado de fora, voltando a se esconder, até que simplesmente saí, meio assustada. Esse é o último registro que se tem da jovem e intrigou bastante as autoridades. Estaria Elisa sendo perseguida?

A verdade é que ninguém sabe, pois não haviam câmeras que mostrassem todos os corredores. A jovem desapareceu e nunca mais foi vista, o que causou uma grande comoção na mídia estadunidense e canadense. Um verdadeiro mutirão foi feito na esperança de encontrar a menina, que, infelizmente, já estava morta desde o dia de seu desaparecimento. Mas… e o corpo? Como foi encontrado? Acontece que, um tempo depois, alguns hospedes começaram a reclamar sobre a água que estava saindo de suas torneiras. Ela parecia meio turva, com um mal cheiro inexplicável, algo simplesmente estava errado. Depois de um tempo (e pilhas de reclamações), os responsáveis pela manutenção do prédio foram até a caixa d’água, que ficava no terraço, para verificar o que estava acontecendo. Eles abriram a pesada tampa e lá encontraram o corpo da jovem que, que já estava entrando em estado de decomposição. Sim, durante alguns dias, a água com os restos mortais de Elisa estava sendo canalizada para todos os apartamentos do local.

A pergunta que ficou no ar foi: O que aconteceu? O vídeo divulgado na mídia chamava muito a atenção. Elisa estava com um comportamento estranho dentro de um elevador também com um comportamento estranho (já que ele não se fechava enquanto a jovem estava lá dentro). Isso poderia ter sido causado por uma forte crise de bipolaridade, doença da qual Elisa sofria. Esse transtorno pode sim causar alucinações em casos graves, no entanto, a jovem parecia bem de saúde e não tinha uma crise havia meses. Outra coisa que levanta questionamentos sobre o laudo final, “afogamento acidental”, é a forma como o corpo foi encontrado. Ela estava completamente nua, com seus pertences e roupas flutuando junto a ela na caixa d’água. A caixa tinha uma tampa extremamente pesada, o que tornava quase impossível ela ter, sozinha, aberto, entrado e fechado o local. Se ela se jogou, como fechou? Outra coisa que chamou a atenção foi que as portas de acesso ao terraço ficavam sempre fechadas, como medida de segurança.

Bom, a verdade é que existem muitas teorias que tentam explicar o que aconteceu com a jovem Elisa Lam, mas a única coisa que se tem certeza é que essa estranha e bizarra coincidência com o filme Dark Water existe. Talvez você não tenha conhecimento disso, mas em alguns lugares do mundo existem seitas que tentam, desesperadamente, cometer crimes inspirados em outros crimes ou em filmes. Algo realmente doentio e macabro.

Essa matéria é a primeira de várias que devem aparecer durante o mês do Halloween. Por isso, se você gosta de filmes e séries de terror, fique de olho. Muitas curiosidades estão por vir!

E pra você, o que aconteceu com Elisa Lam?

Júlia Campos

Oficialmente, estudante de design e técnica de informática. Nas horas vagas, ilustradora, modelo e escritora. Sou apaixonada por jogos, gamedesign e cultura oriental no geral, as vezes até pareço ser uma Geek assumida. Fã da autora Maggie Stiefvater e amante de séries de suspense, mistério e terror (as vezes arriscando um romancezinho).