Vikings: Confira as melhores curiosidades da série

A série de enorme sucesso do History Channel, Vikings, está no ar desde 2013 e já conta com 5 temporadas e 59 episódios. Cheia de segredos e fatos históricos interessantes, o enredo escrito por Michael Hirst e produção por Steve Wakefield, Keith Thompson e Sanne Wohlenberg foi uma co-produção de estúdios canadenses e irlandeses feita sob encomenda do canal por assinatura responsável por sua exibição. Exibição essa que chegou a atingir uma média de 4,3 milhões de telespectadores em sua primeira temporada.

Pensando nisso, preparamos aqui uma lista das melhores curiosidades sobre a série.

As Melhores Curiosidades Sobre Vikings

  • A ideia inicial da produção era criar uma minissérie com nove episódios. Porém, como todos sabemos, o sucesso foi gigantesco e a empresa decidiu que era hora de ir mais além. Isso não foi problema para Michael Hirst, criador da série, já que ele tinha material de sobra pra isso.
  • Se você já assistiu algum episódio do seriado, deve ter se perguntando: Isso realmente aconteceu? A verdade é que não se pode ter certeza sobre o que os Vikings fizeram, já que eles não escreveram sua história. Mas, uma coisa que não podemos reclamar, é que a trama foi sim escrita levando em conta pesquisas históricas e tendo a opinião de vários especialistas na Alta Idade Média levadas em conta. Como muitas coisas que conhecemos, é uma ficção com um pé na realidade.

  • E, diferente do que acontece em muitas produções, Vikings tem apenas um roteirista. Michael Hirst escreveu todos os episódios da série sem o auxilio de um showrunner ou de outros membros. Isso é algo realmente raro na televisão.
  • Floki e Torvi são filhas de Michael. Sim, isso mesmo, o roteirista e criador do seriado tem duas filhas que atuam no elenco do programa.
  • Você sabia que Ragnar Lothbrok realmente existiu? Ok, como eu disse antes, não se pode confirmar nada com base em documentos históricos dos Vikings, já que eles não escreveram nada, mas isso não quer dizer que ele é um personagem inventado. É quase unanime entre os pesquisadores que Ragnar realmente existiu. Embora boa parte do seu personagem seja ficção, muito do que acontece tem realmente sentido histórico. Isso é magnifico!

  • Outro personagem que segue a mesma ideia de Ragnar é Rollo. Segundo historiadores, Rollo seria inspirado em um ancestral distante de William I, da Inglaterra, Hrolf. A ele, é creditada a conquista das terras francesas que, atualmente, são conhecidas como Normandia.
  • E as poderosas mulheres vikings? Outro fato muito interessante é que na Alta Idade Média as mulheres vikings tinham muito mais direito do que as mulheres que estavam em todo o resto da Europa. Elas podiam, inclusive, se divorciar e se casar novamente, sem serem julgadas pelos homens de seu grupo.

  • Outra curiosidade é que a série conseguiu resgatar e nos apresentar a quatro diferentes línguas consideradas como mortas. São elas o norueguês, inglês e francês antigo, além do latim.
  • Quem conhece a trama sabe que Ragnar costuma praticar um rirual chamado “Blood Eagles, a Águia de Sangue” com seus rivais. É estranho imaginar que tal pratica realmente existiu, mas a história diz que sim. O rito consiste em cortar a vitima pela coluna vertebral, com o objetivo e abrir suas costelas e deixar seus pulmões expostos, para que parecessem asas. A única coisa que não se sabe ao certo é se isso era feito como um rito religioso, de vitória ou apenas para gerar medo.

  • Muitas críticas à serie vieram por causa da quantidade de maquiagem, o que é de se esperar quando não se conhece muito sobre história. Maquiagem na Alta Idade Média? Mas, acreditem, isso existe. Não apenas entre os vikings, mas em países árabes, africanos e asiáticos o antimônio esmagado, cobre oxidado ou cinzas eram usados como delineador.
  • Mais uma coisa baseada em fatos reais são as tatuagens. Não o fato delas existirem, mas como são feitas nos atores. Todas são inspiradas em pinturas de artefatos escandinavos.

Já assistiu Vikings? Gostou de saber um pouco mais sobre a produção? Deixe seu comentário!

Júlia Campos

Oficialmente, estudante de design e técnica de informática. Nas horas vagas, ilustradora, modelo e escritora. Sou apaixonada por jogos, gamedesign e cultura oriental no geral, as vezes até pareço ser uma Geek assumida. Fã da autora Maggie Stiefvater e amante de séries de suspense, mistério e terror (as vezes arriscando um romancezinho).