Mortes reais na ficção: pessoas que morreram nos sets

Infelizmente, no mundo do cinema e da TV nem tudo são flores. Acidentes acontecem e eles podem causar somente um susto, mas também podem ser fatais. Acredito que o caso mais famoso na área seja a morte de Brandon Lee, que morreu durante as filmagens do filme “O Corvo” de 1994. No entanto, as mortes reais na ficção são pesadelos que já foram mais recorrente do que todos nós imaginamos.

Brandon Lee

Um dos casos mais conhecidos e citado na introdução desse post. Brandon Lee, filho de Bruce Lee, morreu enquanto participava das filmagens do filme “O Corvo”, de 94. Em uma cena, o personagem interpretado por Brandon precisaria levar um tiro e ninguém imaginava que isso aconteceria literalmente. A versão dada pelos responsáveis do caso foi que alguém carregou a arma com uma bala real no lugar de uma de festim, que era o que estava combinado e não teve jeito, o ator morreu após receber o disparo e até hoje esse acidente é considerado um dos mais mal explicados da história do cinema.

Vic Morrow

“No Limite da Realidade” foi um filme dirigido por Steven Spielberg e John Landis no ano de 1983. A série era uma homenagem de Spielberg para a série de TV Twilight Zone. Nesse longa, um ator chamado Vic Marrow havia sido escalado para interpretar um militar. Seu personagem precisaria salvar duas crianças  em uma cena de guerra e ergue-las até um helicóptero. Tudo ia bem, até que o transporte ficou fora de controle. A hélice do helicóptero decapitou Vic e uma das crianças. E, como se isso não fosse suficiente, a segunda escapou da decapitação, mas morreu esmagada pelo helicóptero. Esse acontecimento fez com que as leis trabalhistas para atores mirins sofressem uma brusca mudança, além de render aos diretores um enorme processo. Ainda assim, o filme foi lançado, mas a cena não está nele, obviamente.

Tyrone Power

Um astro no topo de sua carreira. Power morreu enquanto filmava uma cena de esgrima no filme “Salomão e a Rainha de Sabá” no ano de 1958. Mas, diferente dos casos citados a cima, o que ocorreu aqui foi uma fatalidade. O ator teve um ataque cardíaco fulminante aos 44 anos e morreu a caminho do hospital. Com sua morte, o diretor do filme, King Vidor, decidiu rodar as cenas onde Power aparecia com Yul Brynner. E mesmo que a maior parte das cenas tenham sido regravadas, ainda é possível ver o primeiro ator em alguns momentos quando Salomão aparece de longe. Infelizmente, mesmo com isso, seu nome não está incluído nos créditos.

Martha Mansfield

Ela estava em seu intervalo entre filmagens, descansando dentro de um carro, quando uma pessoa passou do lado, ascendeu um cigarro e jogou o palito de fósforo fora. O palito ainda em chamas caiu dentro do carro e atingiu o vestido da atriz, que era altamente inflamável. Sua morte não ocorreu exatamente no set de filmagens, já que a jovem de apenas 24 anos ainda lutou pela vida por um dia. The Warrens of Virginia foi lançado no ano de 1924, um ano depois da morte da interprete.

Jon Erik Hexum

Mais um acidente que aconteceu no intervalo entre as filmagens de cenas. Enquanto esperava o reinicio das gravação para a série Cover Up, após uma cena de tiroteio, o jovem ator se sentiu entediado e teria olhado para a equipe de produção e falado “Olhem, pessoal. Vou me matar!” Erik estava com o revolver que havia acabado de usar em punho e o apontou para a própria cabeça. Obviamente, a arma não estava carregada, mas continha pólvora e um enchimento de papel, posto lá para evitar que a pólvora vazasse. No momento do disparo, o papel foi expelido com tanta pressão que atingiu fortemente o crânio do ator. Uma fratura foi criada e parte do osso penetrou o cérebro de Hexum, que foi levado as pressas para o hospital. No entanto, ele não resistiu aos ferimentos.

Eric Fleming

Eric Fleming teve uma vida agitada, por assim dizer. Ao oito anos, tentou matar seu pai pois ele e sua mãe discutiam muito. Quando fugiu de casa, aos 11 anos, ele foi baleado em uma briga de gangues e já adulto ele tentou levar um peso de 100kg sobre sua cabeça durante uma aposta, peso este que acabou caindo e desfigurando seu rosto. Mas foi durante as gravações de High Jungle que o fim do ator chegou. Em uma cena, no Rio Huallaga, no Peru, onde o ator estava em uma canoa. A força da água derrubou a pequena embarcação e Fleming foi arrastado pela correnteza. Embora alguns digam que Eric foi devorado por piranhas, a confirmação oficial é que o jovem morreu afogado.

Redd Foxx

Conhecido pela série Sanford and Son, exibida pela NBC entre 1972 e 1977, o ator participava das gravações do seriado The Royal Family quando sofreu um ataque cardíaco. Na hora, ninguém que estava no set acreditou que o senhor de 68 anos estava realmente passando mal, já que seu personagem tinha o costume de colocar a mão sobre o peito e dizer “Elizabeth, estou chegando para me juntar a você!”

John Ritter

Outro grande ator que morreu por ataque cardíaco. John chegou a vencer prêmios como o Emmy e o Globo de Ouro por seus trabalhos, mas, em 2003, sua vida chegou ao fim. Ritter estava participando de ensaios no set de filmagens da série 8 Simple Rules quando passou mal. Ele morreu pouco tempo depois, aos 54 anos.

Roy Kinnear

Roy foi um ator inglês conhecido em todo o Reino Unido devido a sua participação em programas de humor. Seu acidente aconteceu no set, mas não foi lá que ele morreu. Kinnear estava participando das filmagens de “O Retorno do Mosqueteiro” na Espanha quando caiu do cavalo em que estava montado. A queda provocou uma fratura em sua bacia e o ator chegou a ficar internado no hospital. No entanto, ele não resistiu. No dia seguinte Kinnear foi encontrado morto, algumas fontes citam uma hemorragia interna, outras falam sobre um ataque cardíaco, mas, o que importa, é que ele faleceu aos 54 anos. A morte do ator chocou tanto o diretor do filme, Richard Lester, que ele abandonou sua carreira.

Art Scholl

Saindo um pouco dos astros e indo para os dublês. Art Scholl era um piloto que atuava nas gravações de Top Gun. Em uma das cenas, Art deveria fazer seu avião descer rapidamente e girando em direção ao mar para, assim, arremeter poucos metros antes de colidir. No entanto, a equipe de produção percebeu que algo não ia bem quando ouviram o piloto dizendo “Pessoal, estou com um problema aqui!”. Essas foram as últimas palavras de Art antes dele colidir com a água. O impacto foi tão forte que nem seu corpo nem o veículo puderam ser resgatados.

Paul Mantz

Outro dublê que infelizmente morreu durante suas filmagens. Paul sempre foi apaixonado por aviação e com 16 anos já estava aprendendo a pilotar aviões. Depois que foi expulso da Escola das Forças Aéreas em 1927, o jovem decidiu começar a trabalhar como dublê, fazendo cenas arriscadas. Enquanto gravava o filme “The Flight of the Phoenix”, em julho de 1965, o avião de pequeno porte que Paul pilotava se acidentou no deserto. Com o impacto, o avião se partiu ao meio e Paul morreu aos 61 anos.

Steve Irwin

Esse caso não era uma ficção e nem estava exatamente num set, mas, como ocorreu no meio das filmagens, decidi inclui-lo na lista. Steve Irwin era um apresentador australiano conhecido pelo programa “O Caçador de Crocodilos”. A série fez tanto sucesso que acabou ganhando um filme documentário, “The Crocodile Hunter: Ocean’s Deadliest. O caso que chocou a todos no ano de 2006 foi um acidente infeliz que ocorreu com o jovem. Irwin teria visto uma Raia no fundo do mar, com cerca de 2 metros e meio, e teria se aproximado para filma-la nadando. Infelizmente, animal se defendeu de uma forma trágica. A Raia se virou contra o apresentador rapidamente e realizou várias investidas contra seu peito. Antes de morrer, Steve acreditava que o ferrão do bicho havia perfurado seu pulmão, mas a situação era bem mais grave, já que o órgão mais atingido foi o coração. Ele acabou morrendo no local e a gravação feita no momento de sua morte foi destruída. É o mais recente caso dos que relatamos aqui.

Ninguém gosta de ler sobre coisas tristes, mas consideremos isso uma homenagem a eterna lembrança dessas talentosas pessoas que morreram fazendo o que amavam. Relembremos seus trabalhos e suas determinações.

Júlia Campos

Oficialmente, estudante de design e técnica de informática. Nas horas vagas, ilustradora, modelo e escritora. Sou apaixonada por jogos, gamedesign e cultura oriental no geral, as vezes até pareço ser uma Geek assumida. Fã da autora Maggie Stiefvater e amante de séries de suspense, mistério e terror (as vezes arriscando um romancezinho).