It: A Coisa: As melhores curiosidades sobre o primeiro filme

Stephen King é um gênio da literatura dos contos de terror, disso nós sabemos. Ele foi a mente por trás de incríveis sucessos dos livros e dos cinemas. Carrie, a Estranha, A Hora do Lobisomen, Trocas Macabras e It: A Coisa, são apenas alguns de suas inúmeras obras inesquecíveis. Conhecido como um dos maiores escritores do gênero, não é de se estranhar que existam várias séries e filmes inspirados nas histórias do autor. E It é uma delas.

A primeira adaptação de It que se tem noticias é um seriado denominado It: Uma Obra Prima do Medo que angariou inúmeros fãs em 1990 e fez muitas pessoas entenderem um pouco sobre o que seria a Coulrofobia (Fobia de palhaços). A Coisa (It, em inglês) seria um ser transformo que caiu na terra a anos atrás. Ele se transforma no seu pesadelo antes de devora-lo e uma dessas transformações seria o palhaço dançarino Pennywise.

Mas, além do fato de muitos compararem Pennywise a um famoso serial killer dos Estados Unidos, John Wayne Gacy, existem muitas outras curiosidades envolvendo o longa lançado no ano passado (2017).

Confira As Melhores Curiosidades de It: A Coisa

  • Você reparou nos olhos do Pennywise na icônica cena onde George vai procurar seu barquinho no bueiro? Bill Skarsgard, interprete do palhaço, criou um truque para que seu olhar fosse mais assustador ainda. Se você reparar bem, um dos olhos do Pennywise está focado no menininho, como era de se esperar. Porem, o outro está virado para os telespectadores. A parte mais legal é que não foram necessárias edições no filme para criar esse efeito.
  • E você imaginava que, por muito pouco, Tilda Swinton não foi escalada como Pennywise? “Tínhamos um intervalo de tempo para gravar o filme, mas ela não estava disponível, então nem fez a audição. Mas é claro que todos pensamos nela.” A atriz ficou famosa depois de participar de filmes como As Crônicas de Nárnia e Doutor Estranho.

  • The Duffer Brother, criadores de Stranger Things, foram considerados para serem os diretores do filme. Infelizmente, eles foram negados por não serem considerados reconhecidos o suficiente. Outra curiosidade é que a criação do logotipo da série dos irmãos foi inspirado nos livros de Stephen King, assim como o universo infantil onde a história se passa.
  • Stephen King, escritor do livro que deu origem a série, considerou a adaptação “genuína”. Ele assistiu a produção inúmeras vezes e se mostrou muito satisfeito com ela. Vale lembrar que o livro é dividido em duas partes e apenas a primeira parte que é mostrada no primeiro filme. O segundo filme já está em produção e deve chegar aos cinemas em 2019.

  • O número 27 é considerado o número chave para a obra. Além da primeira parte ser lançada 27 anos após a versão televisionada em 1990, A Coisa costuma passar esse mesmo tempo hibernando. O ator que fez Bill na primeira versão, Jonathan Brandis, morreu aos 27 anos. Coincidentemente essa é a mesma idade que o ator do novo Pennywise tem.
  • Assim como o palhaço original, Tim Curry, Bill Skarrsgard também ficou isolado do elenco mirim antes das gravações das partes em que aparecia. Isso causou um desconforto ainda maior nas crianças, fazendo-as até mesmo chorar nos bastidores. O autor, obviamente, se desculpou por isso, mas foi tudo feito pela arte.

  • Os fãs da minissérie de 1990 sugeriram que o elenco adulto da segunda parte fosse comporto pelos os atores do elenco mirim em sua época. A única exceção seria o falecido Jonathan Brandis.
  • Depois que Cary Bowers desistiu de dirigir o filme, Andy Muchietti assumiu e fez algumas alterações no roteiro original do filme. Cenas de sexo, incluindo a de “orgia de crianças” foram canceladas para evitar o desconforto dos atores e uma censura mais alta.
  • Além dessas alterações, também foi Andy quem decidiu manter os nomes originais. No roteiro de Cary, todos os nomes estavam trocados. Bill Denbrough seria Willy Denbrough, Henry Borwes se chamaria Travis, ‘Belch’ Huggins se chamaria ‘Snatch’ Huggins e Patrick Hockstetter seria Patrick Hockstettler. No fim, apenas a alteração no nome de Will Hansol para Leroy e de Greta Bowie para Gretta continuaram.

  • A produção decidiu mudar o ano da minissérie original de 1958 para 1989. Com isso, imagina-se que a segunda parte da trama se passará em 2015, dois anos antes do lançamento do primeiro filme. Talvez, ao irmos aos cinemas, nos sentiremos um pouco mais próximos de Pennywise, não?
  • Finn Wolfhard, interprete de Richie Tozier, admite que também tem medo de palhaços, como seu personagem. Já podemos ter uma ideia de como o ator se sentiu fazendo tal papel.
  • O trailer do filme coincidiu com a onda de palhaços assustadores em todo mundo. Esse triste fato fez com que muitos acreditassem que seria uma campanha de marketing. Mas a produção nunca confirmou que a estéria coletiva tenha realmente tido línico com uma campanha deles.

  • O maior inimigo da Coisa é uma tartaruga chamada Maturin, uma entidade cósmica. Enquanto A Coisa é o “senhor” da destruição, Maturin seria o senhor da criação. A história de Maturin é contada na série A Torre Negra, que se passa no mesmo universo de onde Pennywise veio, o Macroverso. É Maturin quem ajuda as crianças enquanto elas preparam o ritual que aprisiona A Coisa em It.
  • Por último, como um bônus, deixo aqui a lista de poderes da Coisa. Foram citados tanto no livro quanto no filme: Telepatia, projeção astral, transformação, longevidade, regeneração, teletransporte, invisibilidade, super-velocidade, super-força, resistência, telecinese, manipulação mental ou da realidade, etc.

Bom, tudo que podemos afirmar sobre essa estranha criatura é que nenhum de nós gostaria de encara-la, certo? A Coisa foi um sucesso de bilheteria e deixou muitas expectativas para o próximo filme. Deixe seu comentário sobre o que espera daqui pra frente e podemos flutuar enquanto imaginamos isso.

Júlia Campos

Oficialmente, estudante de design e técnica de informática. Nas horas vagas, ilustradora, modelo e escritora. Sou apaixonada por jogos, gamedesign e cultura oriental no geral, as vezes até pareço ser uma Geek assumida. Fã da autora Maggie Stiefvater e amante de séries de suspense, mistério e terror (as vezes arriscando um romancezinho).