Melhores Filmes de Games: Doom – A Porta do Inferno

 

Olá, hoje nosso post é sobre uma obra cinematográfica baseada em jogos de vídeo-game. Traremos vários filmes diferentes e dessa vez, veremos “Doom – A Porta do Inferno”. Nosso objetivo é explicar a razão por considerarmos este e outros filmes ótimas adaptações.

Porém, os critérios de avaliação vão muito além de mera qualidade visual ou narrativa, nosso foco é destacar e apontar os filmes que foram capazes de representar e transferir com eficiência a mesma essência dos jogos originais. Esses são os tipos de filmes que te fazem sentir vontade de jogar mesmo sem conhecer o jogo, então vamos lá:

Doom – A Porta do Inferno

Eis um filme inspirado num jogo do gênero de tiro em primeira pessoa. Ele conta a história de soldados que atravessam um portal interespacial que os leva direto pra Marte, para auxiliarem na proteção dos cientistas que lá investigam uma civilização há muito perdida. O perigo é que os cientistas acabaram gerando monstros ao combinar o DNA dessa civilização marciana, que era muito mais evoluída que os humanos, com o dos humanos, e cabe aos soldados enfrentarem essas criaturas enquanto investigam os mistérios por trás das pesquisas em Marte.

Premissa de filme de ficção científica clichê, mas é um filme excelente. Ele conta tudo pela perspectiva dos militares que pouco ou nada entendem de ciências e pouco a pouco vai introduzindo o enredo complexo desenvolvido exclusivamente para o cinema! Pois é, a história não tem nada haver com a original…

No jogo em que se baseia, Doom fala sobre um soldado isolado em Marte como um tipo de castigo (ninguém quer trabalhar lá) que acaba testemunhando uma falha catastrófica com uma máquina de teletransporte testada nas ruas de Marte. O problema é bem simples: a máquina transportou uma das luas direto para o inferno e um portal pra lá se abriu, com demônios conseguindo atravessar e espalhar o caos, inclusive possuindo os colegas do protagonista. Então cabe a ele meter bala nos demônios e possuídos enquanto busca uma forma de voltar pro planeta Terra.

As histórias diferem, e muito, eles inclusive deram nomes para os personagens no filme enquanto no jogo o protagonista nem nome tem… Então por que é uma ótima adaptação? Bem, a essência de Doom está presente através de inúmeras adaptações. O senso de justiça e moral do protagonista original acaba transposto num recruta que desafia seu superior, inclusive um motivo semelhante ao do exílio punitivo do protagonista do jogo. Os colegas de equipe viram inimigos como se estivessem possuídos, mas são seus “demônios internos” aflorando e por aí vai. O que vemos é a experiência do jogo formatado em filme.

E ele é tão diferente do material original. 90% do filme é focado em suspense e terror enquanto o jogo é pura ação… Mas ainda assim há ação, principalmente no final em que colocam o filme na perspectiva do soldado… Aí sim fica idêntico ao game.

E acredite, esse é um tipo de adaptação respeitável, que busca ser original enquanto se inspira.

Lembre-se: Filmes são muito diferentes de Games, então a forma e o tempo pra se contar uma história precisa mudar. Mas adaptar um jogo vai além de colocar pessoas reais no papel de personagens de vídeo-game. Adaptar vai além de pegar a história de em média de 16 horas de jogabilidade e resumir para 2 horas na telona. Vai além de coletar vários documentos e encena-los. Adaptar não é fazer Live Action, adaptar é conhecer, absorver e transferir a ideia por trás da obra original para que um novo público se interesse e quem sabe, busque mais pelo que a inspirou.

É isso.

Espero que tenha gostado.

Fernando Max

Eu gosto de escrever sobre tudo usando minha perspectiva. Não me importo com spoilers então não os poupo, mas estou fazendo um esforço pra evita-los para o melhor proveito de vocês.