Diretor de Toy Story tem data definida para sua saída da Pixar após acusações de assédio

Após a gigantesca onda de denúncias de assédio impulsionadas pela queda de Harvey Weinstein e também pelos movimentos #MeToo e Time’s Up, John Lasseter – diretor criativo da Pixar Animation Studios e também da Walt Disney Animation Studios – foi acusado em novembro por seu comportamento nada cordial nos escritórios da Pixar. Diversas testemunhas alegaram que o diretor fazia avanços indesejáveis e forçava beijos, toques e também fazia comentários desconfortáveis sobre a aparência física das pessoas.

Inclusive, boatos disseram na época – e depois foram confirmados – de que Rashida Jones e Will McCormack teriam saído do time criativo de Toy Story em função da conduta de Lasseter. Tendo em vista toda essa grave situação, a Disney e a Pixar marcaram uma data oficial para o fim da era de John Lasseter. O produtor, diretor, roteirista e animador responsável atualmente como produtor executivo de Toy Story 4 e Wi-Fi Ralph ficará em sua posição apenas até 31 de dezembro.

Com essa saída, Pete Docter – diretor de Monstros S.A., UP: Altas Aventuaras e Divertida Mente e Jennifer Lee, codiretora de Frozen: Uma Aventura Congelante, irão assumir mais tarefas executivas e/ou criativas tanto na Disney quanto na Pixar. Veja a nota de saída de Lasseter:

“Os últimos seis meses me deram a oportunidade de refletir sobre minha vida, carreira e prioridades pessoais, enquanto eu continuo minha dedicação à arte da animação inspirado pelo talento criativo da Pixar e Disney, eu decidi que o final deste ano é o tempo certo para começar a focar em novos desafios criativos. Eu estou extremamente orgulhoso pelo que os dois estúdios de animação mais prolíficos e importantes conquistaram debaixo da minha liderança e eu sou grato por todas as oportunidades que tive para seguir minha paixão na Disney”, vale lembrar que ele não faz nenhuma alusão a suas denúncias.

Vale ressaltar que ano passado o diretor publicou um texto assumindo seus erros antes de ser afastado das empresas onde atua por seis meses. Nela, ele diz:  “Recentemente, tenho recebido conversas que tem sido muito difíceis para mim. Nunca é fácil encarar seus deslizes, mas é o único modo de aprender a partir deles”, disse ele. “Essa nunca foi minha intenção. Coletivamente, vocês são o meu mundo, e eu me desculpo profundamente se os decepcionei”.

Você acha que foi a decisão correta? Comente!

Amanda Canabarro

Sempre adorei ler e escrever desde pequena, tendo toda a franquia do Harry Potter em meu currículo antes dos 14 anos. Hoje, estudo Relações Públicas, escrevo, tenho uma empresa, um canal no YouTube de mistérios e sou viciada em filmes e séries, o que acaba complicando as funções anteriores... :D