Afinal, O Que Há de Maravilhoso Na Sra. Maisel?

banner-marvelous-maisel

Maravilhosa é uma ótima palavra para descrever esta série que até mesmo já a possui em seu título. A Maravilhosa Sra. Maisel (Marvelous Mrs. Maisel) é a mais nova, e incrível, série criada pela Amy Sherman-Palladino (conhecida por ser a criadora da aclamada série Gilmore Girls) e distribuída pela Amazon Prime Video.

A série foi lançada em 17 de março de 2017 (já faz um tempinho) e coleciona alguns prêmios como o Globo de Ouro de Melhor Série de Comédia ou Musical (2018) e o Globo de Ouro de Melhor Atriz Em Série de Comédia ou Musical (2018) para a Rachel Brosnahan. Mas o que essa série tem de tão “maravilhoso” afinal?

O enredo se passa em Nova Iorque na década de 50, mais especificamente no ano de 1958, e conta a história de Miriam “Midge” Maisel (Rachel Brosnahan), uma mulher praticamente perfeita de sua época: sempre disposta a fazer bem ao seu marido Joel Maisel (Michael Zegen) e apoiá-lo no que for preciso, principalmente no seu sonho de se tornar um grande comediante, mãe de duas crianças ainda pequenas e moradora de Upper West Side (uma das regiões mais nobres da cidade). Tudo ia muito bem para Miriam, até que uma reviravolta em seu casamento faz a sua vida desandar e, de repente, ela se vê em um palco desabafando sobre tudo o que aconteceu e arrancando gargalhadas do público.

Sra. Maisel em sua primeira "apresentação".

Com essa premissa, Marvelous Mrs. Maisel consegue ao mesmo tempo fazer o espectador rir com seu humor por vezes até ácido, comover-se com o drama vivido pela personagem e refletir sobre o tratamento recebido pelas mulheres nos anos 50 (que ainda possui reflexos na atualidade). A ideia de que a mulher precisa ser submissa ao homem, que ela depende de um homem para ser bem vista na sociedade e não poder ter sua própria vida profissional. A obra de Palladino sempre traz essas discussões de cunho feminista, aqui nós podemos notar esse aspecto tanto no tratamento da sociedade com Miriam por ser uma mulher separada, quanto no aspecto de ser uma mulher num ambiente tão machista, na época, a comédia stand up.

Amy Sherman-Palladino e Rachel Brosnahan (Sra. Maisel)

A fotografia e ambientação visual da série é magnífica, com planos-sequência para mostrar o cotidiano das ruas de Nova Iorque, os ambientes e elementos de cena são muito fiéis aos utilizados na época (Mini-Spoiler: em determinada cena do segundo episódio, um personagem, ao falar no telefone, afirma que irá colocar a chamada em “viva-voz” e conecta o aparelho a um dispositivo que possuía um tipo de alto-falante para ampliar o som da chamada), retratando perfeitamente o que era viver na época do Jazz.

E falando em Jazz, a trilha sonora da produção é super bem planejada, indo de Frank Sinatra a Elvis Presley, e acrescenta muito à cena, cada música selecionada traz em sua letra um detalhe novo à narrativa, seja para explicar o sentimento de algum personagem no momento, ou para descrever o que está acontecendo em cena. Realmente encantadora.

Sra. Maisel na rua

Vale também ressaltar o elenco da série e, sobretudo, elogiar a atuação feita pela Rachel Brosnahan que soube construir e aumentar a profundidade dessa personagem tão encantadora que é a Miriam Maisel (confesso que rolou uma aquecida no coração enquanto assistia haha). A atriz traz uma personagem que consegue apresentar momentos de alegria e muitos (muitos mesmo) de frustração, tristeza e raiva, fazendo o público entrar no sentimento junto com ela. O casting também conta com Alex Borstein (que dublou Lois Griffin em Family Guy) como Susie Myerson e o grande Tony Shalhoun (o eterno Monk) como o senhor Abe Weissman, pai de Miriam.

Família Maisel no Casamento (Sra. Maisel e Sr. Maisel)

E estes são apenas alguns pontos que me chamaram atenção na série e que fazem Marvelous Mrs. Maisel uma das melhores produções da Amazon Prime Video. Dê uma chance, pois vale muito a pena! Com certeza você vai se divertir e se sentir tocado pela história também! =D

Aliás, a própria Amazon Video disponibilizou o primeiro episódio gratuitamente! Assiste aí!

Lucas Gabriel

Estudante de Tecnologia da Informação, apaixonado por cinema, música e boas histórias de terror e drama! Adora discutir teorias malucas sobre séries ou filmes. Nerd assumido desde pequeno. Fã do Quentin Tarantino (inclusive acredita na teoria de que todos os filmes formam um só), Star Wars, Harry Potter, FRIENDS e filmes, como Laranja Mecânica, Donnie Darko e Nosferatu.